Angelica Ferrer
Browsing Tag

culture

Inspired home interiors around the world.

By 14 de Fevereiro de 2015 Fashion, Style of life
most-romantic-rooms-in-vogue-05-0.jpg

A decoração de uma casa pode dizer muito de você, é parecido com o que acontece na hora de escolher uma roupa! Roupas e decoração tem muito mais em comum do que podemos imaginar.

Vamos ver algumas decorações que podem inspirar você a decorar sua casa!

(null)

A primeira é minha favorita, tem muito estilo e classe, mas também pode se tornar um pouco chamativa e bastante confusa, tem muita informação nas paredes e no chão, a estante chinesa preta no fundo, não faz muito jogo mas tudo bem, a sala é linda e nos remete a uma Paris do passado, quase de Maria Antonieta !👅🌺🌸je’aime Paris. 🇫🇷

(null)
Segunda foto, wow! Amei. Uma maravilhosa decoração e combinação. A cor branca e esse verde com folhas de árvore, que eu acredito ser de mentira, é maravilhoso e muito inovador. A cama é a preferida aqui nos Estados Unidos, é bem grande e alta, e às vezes ela vem rodeada por cortinas, parecendo essas camas de hotel da Polinésia francesa que ficam em frente ao mar, chic né? Dormir e pensar que estamos na Polinesia Francesa no meio da areia e o mar com aguas cristalina.Ariba🇺🇸🎋

(null)
Adorei essa sala com inspiração um pouco hippie com um estilo de casa de madeira, não é clássica e nao é chic, mas é divertida e atraente, esta habitação se encontra em Salvador da Bahia no Brasil. Viva la samba, viva la salsa. 🎉👌

(null)
Essa foto parece uma pintura, mas não é! Esse quarto com inspiração nas casas do século passado, era moda e very chic usar papel de parede de rosas. Este quarto está nos Estados Unidos em Nova Orleans, com inspiração floral e cortinas ao redor da cama e chão de madeira, essa decoração faz um jogo maravilhoso para uma uma bonita e vintage decoração de casa. Não é mais comum esse estilo nos Estados Unidos, mas você ainda consegue encontrar.🇺🇸

(null)
Esse banheiro Grego da ilha de Creta, é simples e muito inspirador, o espelho na frente da banheira e o quadro que parece um alto retrato, pequenos detalhes te fazem imaginar que Grécia e suas ilhas tem muitos segredos para se revelar nas férias e principalmente no verão, assim que quando estiver na Grécia, encontrar esse banheiro tão autêntico vai ser quase um jogo de caçar tesouros! Aristoteles ia adorar essa banheira . 😺👌

(null)
A sala de jantar do rei Artur? Não essa sala se encontra em Turquia, Ankara! Essa decoração simples com um toque de charme inglês, nos convida a um jantar numa mesa não tão redonda, mas com muito estilo na madeira feito à mão e um bom vinho aberto com espada! Se o rei Artur não chegou a ir a Ankara na Turquia, pode ser que sua espada sim! ✨👯💋

(null)
Essa sala só pode ser mesmo de um artista! A decoração das paredes com pinturas modernas e altos retratos, essa sala se encontra em Berlin, os alemães têm um senso de cultura muito grande e principalmente com a música, assim que essa vitrola antiga faz um jogo perfeito com sofás e o tapete … Sem falar nas cores tão vivas dessas flores em cima da mesa. 🇩🇪 ✨👏👌goeie smaak!

(null)
Inacreditável a quantidade de pratos de porcelanas que tem essa parede da sala de jantar de um restaurante de Paris. A toalha de mesa é bordada de um maravilhoso veludo trabalhado á mao para combinar com o branco de quase toda a sala. Os pratos são todos de porcelana pintados á mão cada um com rosas de diferente cores e tamanhos. Paris sera toujours Paris🇫🇷✨

(null)
E por último outra sala de estar em França na cidade de Carcassonne. Pequena, simples mas muito representativa, os quadros na parede parece de história, seja ela privada ou pública, os donos da casa guarda e faz respeito às lembranças do passado. Os livros para ler ou guias com fotos sao uma bonita combinaçao para essa sala. Uma sala especial e com muito estilo, ela combina bem as cores do sofá e tapete. Au revoir 🇫🇷

Hasta lá vista!

You Might Also Like

Palace Alhambra part II

By 5 de Agosto de 2014 Style of life, The best Posts
20140804-113313-41593035.jpg

20140804-104621-38781044.jpg
Granada fue el último reino y la última ciudad tomada por los cristianos,
Habitada por los diferentes reyes musulmanes como último reino taifa en la península, había caído Valencia, Toledo y Sevilla pero Granada, protegida tras sus muros, segura de su fortaleza, resistía al avance cristiano. hasta que su último Rey, Boabdil, Que tras un largo y penoso asedio, el 2 de enero de 1492 fue vencido por los Reyes Católicos, Isabel y Fernando, desapareciendo con esa derrota la presencia de los Musulmanes en Europa.
20140804-104933-38973976.jpg

20140804-104934-38974048.jpg
Los muros caerán, pero dejaran, su legado en Andalucía, La Alhambra, un palacio con jardines y espejos de agua, flores que adornan por doquier. la Alhambra, palacio una vez mora y ahora patrimonio de la humanidad.
20140804-110938-40178019.jpg

20140804-110937-40177758.jpg

20140804-110938-40178552.jpg

20140804-111204-40324816.jpg
Granada was the last kingdom and the last city taken by Christians,
and was inhabited by different Muslim taifa kings as last kingdom in the peninsula. All the rest had fallen – Valencia, Toledo, and Seville – but Granada, protected within its walls and confident in its strength, resisted the Christian advance until its last king, Boabdil. After a long and painful siege on January 2, 1492 Granada was defeated by the Catholic Monarchs, Isabel and Fernando. This defeat led to the disappearance of the Muslim presence in Europe.
20140804-111850-40730388.jpg

20140804-111850-40730864.jpg

20140804-111850-40730635.jpg

20140804-112031-40831321.jpg

20140804-112031-40831099.jpg

20140804-112146-40906363.jpg

20140804-112146-40906894.jpg

20140804-112146-40906671.jpg

20140804-112353-41033621.jpgThe walls fell, but the Muslim legacy in Andalusia remains in the Alhambra, a palace with gardens, water features, adorned with flowers everywhere. Alhambra was a living palace once and now dwells on its heritage.
20140804-112353-41033862.jpg

20140804-112537-41137180.jpg

20140804-112536-41136842.jpg

20140804-112933-41373234.jpg

20140804-112933-41373002.jpg

20140804-113206-41526808.jpg

20140804-113312-41592738.jpg

20140804-113313-41593035.jpgLegend has it that when Boabdil turned for a last look at Granada, he could not keep his eyes from filling with tears. His mother uttered these harsh and heartbreaking words: “Weep like a woman, which has no known defense like a man.“
20140804-143542-52542106.jpg

20140804-143541-52541871.jpg

20140804-143542-52542326.jpg
Cuenta la leyenda, que cuando Boabdil se volvió para ver por última vez la perdida Granada, no pudo evitar que sus ojos se llenasen de lágrimas y su propia madre pronuncio aquellas duras y desconsoladoras palabras de : “Llora como mujer, lo que no has sabido defender como un hombre”.

20140804-150736-54456647.jpg

20140804-150736-54456413.jpg

20140804-150736-54456183.jpg

20140804-151236-54756979.jpg
ROMANCE DE LA PÉRDIDA DE ALHAMA

Paseábase el rey moro — por la ciudad de Granada
desde la puerta de Elvira — hasta la de Vivarrambla.
—¡Ay de mi Alhama!—

Cartas le fueron venidas — que Alhama era ganada.
Las cartas echó en el fuego — y al mensajero matara,
—¡Ay de mi Alhama!—

Descabalga de una mula, — y en un caballo cabalga;
por el Zacatín arriba — subido se había al Alhambra.
—¡Ay de mi Alhama!—

Como en el Alhambra estuvo, — al mismo punto mandaba
que se toquen sus trompetas, — sus añafiles de plata.
—¡Ay de mi Alhama!—

Y que las cajas de guerra — apriesa toquen el arma,
porque lo oigan sus moros, — los de la vega y Granada.
—¡Ay de mi Alhama!—

Los moros que el son oyeron — que al sangriento Marte llama,
uno a uno y dos a dos — juntado se ha gran batalla.
—¡Ay de mi Alhama!—

20140804-152448-55488280.jpg

20140804-152448-55488540.jpg

20140804-152448-55488019.jpg

20140804-152704-55624099.jpg

20140804-152703-55623821.jpg
Allí fabló un moro viejo, — de esta manera fablara:
—¿Para qué nos llamas, rey, — para qué es esta llamada?
—¡Ay de mi Alhama!—

—Habéis de saber, amigos, — una nueva desdichada:
que cristianos de braveza — ya nos han ganado Alhama.
—¡Ay de mi Alhama!—

Allí fabló un alfaquí — de barba crecida y cana:
—Bien se te emplea, buen rey, — buen rey, bien se te empleara.
—¡Ay de mi Alhama!—

Mataste los Bencerrajes, — que eran la flor de Granada,
cogiste los tornadizos — de Córdoba la nombrada.
—¡Ay de mi Alhama!—

Por eso mereces, rey, — una pena muy doblada:
que te pierdas tú y el reino, — y aquí se pierda Granada.
—¡Ay de mi Alhama!—

Anónimo

20140804-153512-56112928.jpg

20140804-153712-56232466.jpg

20140804-154002-56402789.jpg

20140804-154323-56603307.jpg

20140804-154625-56785912.jpg

20140804-154626-56786105.jpg

20140804-155546-57346401.jpg

20140804-155546-57346599.jpg

20140804-160615-57975414.jpg

20140804-160615-57975612.jpg

20140804-160615-57975212.jpg

20140804-161018-58218038.jpg

Photo credits: Daniel Ronquillo Diaz
Clothes :Ohohjuly vintage Granada
Tocados: Mayca Granados tocados
Palace Alhambra photos
Acessóries: Elvergel1900

Hasta la vista baby😌✋

You Might Also Like

Artist Franco Renzulli in Venice

By 12 de Março de 2014 Style of life, The best Posts
20140312-111401.jpg

20140312-102824.jpg

Born in Venice in 1945 from a Triestine mother and Neapotitan father, after having spent his early childhood in Capodimonte,Franco Renzulli returns to his native city where he dedicates himself to his studies. Not yet twenty years old , he favours his rising artistic vocation and begins to attend free courses of nude design at the Academy of fine arts in Venice.
The cultural revolution is still rather far off in the early sixties but the young man feels the urge to step over the borders of his father-land and to explore new countries and different cultures.
Therefore, in 1963 , he leaves for northern Europe and spends a long period in Copenhagen in the house of the painter Giorgio Musoni . This will be the first of a long series of visits in the course of that decade.
Unexpectedly, Denmark becomes the virtual bridge for the artist’s new destination : Africa ,his relationship with the great black Continent will turn out to be a very intense and deeply involving one that will last for almost fifteen years stanting from his first journey in Senagal in 1967 and his numerous experiences in Mali .
In 1976 he lays out the first texts as he adds literature to his figurative art production. He will never abandon this new vocation which reaches its climax in 1984 with the publication of Ferule , a collection of one thousand hand-bound copies edited by Fallani in Venice and with Livre de Taches a collection dedicated to René Bro , edited in one hundred specimens in 1989 .
At the beginning of the nineties , Franco Renzulli is once again aroused by the enthusiasm of travelling and leaves for New York , a city that he will visit regularly until 2006 . During the last three decades, he has exhibited his works in a number of cities such as : Stockholm , Dakar ,Prague,Vienna and New York . 🌹

20140312-110826.jpg

20140312-110953.jpg

20140312-111041.jpg

20140312-111127.jpg

20140312-111257.jpg

20140312-111322.jpg

20140312-111401.jpg

20140312-111510.jpg

20140312-112828.jpg

20140312-112910.jpg

20140312-113015.jpg

20140312-113117.jpg

20140312-113152.jpg

20140312-113256.jpg

20140312-113407.jpg

20140312-113936.jpg

my love for Venice, special people, and a mysterious, wonderful city🌹😌 Te quiero Venice ❤️

Nascido em Veneza, em 1945, de uma mãe e um pai de Trieste Neapotitan, depois de ter passado sua infância em Capodimonte, Franco Renzulli retorna à sua cidade natal onde se dedica aos seus estudos. Ainda não 20 anos de idade, ele favorece a crescente vocação artística e começa a participar de cursos gratuitos de desenho nu na Academia de Belas Artes de Veneza.
A revolução cultural é ainda bastante longe no início da década, mas o jovem se sente à vontade para passar por cima das fronteiras de seu pai e da terra e de explorar novos países e culturas diferentes.
Portanto, em 1963, ele sai para o norte da Europa e passa um longo período em Copenhague na casa do pintor Giorgio Musoni. Este será o primeiro de uma longa série de visitas ao longo dessa década.
Inesperadamente, a Dinamarca torna-se a ponte virtual para novo destino do artista: a África, sua relação com o grande continente negro vai passar a ser um muito intenso e profundamente envolvendo uma que irá durar por quase quinze anos stanting de sua primeira viagem em Senagal em 1967 e suas inúmeras experiências em Mali.
Em 1976, ele estabelece os primeiros textos de literatura acrescenta à sua produção de arte figurativa. Ele nunca vai abandonar essa nova vocação que atinge seu clímax em 1984 com a publicação de palmatória, uma coleção de mil exemplares encadernados à mão editado por Fallani em Veneza e com Livre de Taches uma coleção dedicada a René Bro, editado em cem espécimes em 1989.
No início da década de noventa, Franco Renzulli é mais uma vez despertada pelo entusiasmo de viajar e deixa para Nova York, uma cidade que ele vai visitar regularmente até 2006. Durante as últimas três décadas, ele já expôs suas obras em várias cidades, tais como: Estocolmo, Dakar, Praga, Viena e Nova York.🌹

20140312-114238.jpg

20140312-114307.jpg

I thank my dear Marco Polo Grossi for introducing me to this wonderful city and painter Franco Renzulli for gallantry kindness.🌹😌

Nacido en Venecia en 1945 de una madre triestino y Neapotitan padre, después de haber pasado su infancia en Capodimonte, Franco Renzulli regresa a su ciudad natal, donde se dedica a sus estudios. ¿Todavía no tiene veinte años de edad, está a favor de su creciente vocación artística y comienza a asistir a cursos gratuitos de diseño de desnudo en la Academia de Bellas Artes de Venecia.
La revolución cultural es todavía bastante lejos en los años sesenta, pero el joven se siente la necesidad de pasar por encima de las fronteras de su padre-la tierra y explorar nuevos países y culturas diferentes.
Por lo tanto, en 1963, él se va para el norte de Europa y pasa un largo período en Copenhague, en la casa del pintor Giorgio Musoni. Esta será la primera de una larga serie de visitas en el transcurso de esa década.
Inesperadamente, Dinamarca se convierte en el puente virtual para el nuevo destino del artista: África, su relación con el gran continente negro va a llegar a ser una muy intensa y que implica profundamente que tendrá una duración de casi quince años stanting de su primer viaje en Senagal en 1967 y sus numerosas experiencias en Mali.
En 1976 se establecen los primeros textos que añade la literatura a su producción de arte figurativo. Él nunca abandonará esta nueva vocación que alcanza su punto culminante en 1984 con la publicación de Férula, una colección de mil ejemplares encuadernados a mano editado por Fallani en Venecia y con Livre de Taches una colección dedicada a René Bro, editado en cien ejemplares en el año 1989.
A principios de los años noventa, Franco Renzulli se despierta una vez más por el entusiasmo del viaje y se va para Nueva York, una ciudad que visitará regularmente hasta 2006. Durante las últimas tres décadas, ha expuesto sus obras en varias ciudades como: Estocolmo, Dakar, Praga, Viena y Nueva York.🌹

20140312-114652.jpg

20140312-115733.jpg

Franco Renzulli nasce a Venezia il 29 agosto 1945 .Nel 1962 è in Danimarca dove conosce i componenti di um complesso senegalese che lo invitano nel loro paese. Ci andrà nel 1967. Poi dal 1968 e per 13 anni si recherà almeno una volta l’anno nel Mali .

Tra gli anni ’63 e ’94 Renzulli espone a Venezia , in Danimarca, Milano , Roma , Stoccolma, Dakar , Prhaga , Vienna. Nei suoi dipinti il viaggio appare sempre come necessità di confronto tra realtà diverse di colori, forme ed impressioni.

Nel 1988 Renzulli “scopre” I’America ed in particolare New York , città Dalla quale si sente particolare affascinato come da Venezia. Tra le due realtà così profondamente diverse nasce nei quadri del l’artista veneziano un continuo intersecarsi di esperienze cromaticle e di segni-sentimenti.E Venezia diventa New York e New York , Venezia. Tra un viaggio e l’altro ,nell’incrociarsi dei ricordi, nelle sublimazioni delle emozioni i due mondi finiscono per incontrarsi e fondersi.

Da “Un viaggio tra realtà e fantasia” di A. Pacini 🌹

20140312-122707.jpg

Franco Renzulli

A cura di Daniela P . Bacigalupo

20140312-123007.jpg

Angelica wears dress LIKE the Virgin bought a second-hand store in London, Notting Hill With her German lover ❤️ and earrings el vergel1900

😎 Hasta la vista baby.

Angelica veste vestido de noiva LIKE a virgin comprado numa loja de segunda mão em Londres , Nothing Hill Com o seu amante Alemão ❤️ e brincos el vergel1900

😎 Hasta la vista baby .

You Might Also Like